sexta-feira, 5 de março de 2010

Cristãos pedem ação do governo contra ataques na Nigeria

O líder da Associação Cristã da Nigéria (CAN) no estado de Zamfara disse estar desapontado devido à falta de respostas da polícia do Estado em relação aos incêndios a igrejas.

“É uma pena que não haja nenhuma reação da polícia. Mesmo o governador se recusou a nos encontrar”, disse o presidente da CAN, pastor Edwin Okpara.

O templo da congregação Igreja de Deus Cristãos Redimidos em Tudun Wada foi parcialmente queimado no dia 25 de janeiro, e a Igreja Bíblica Fé Cristã e a Capela Fundação de Fé Viva, ambas em Gusau, foram parcialmente incendiadas em 20 e 24 de janeiro, respectivamente. Zamfara, um dos estados com mais muçulmanos no norte da Nigéria, foi o primeiro no país a implementar a sharia (lei islâmica). 

Em uma petição de 26 de janeiro, a CAN declarou que os incêndios vieram como resultado de “uma grande conspiração para causar danos a igrejas e cristãos no estado por causa da crise religiosa em Jos, no estado de Plateau”.

A associação alegou que aqueles que atacaram as igrejas em Zamfara foram encorajados porque nenhum oficial tomou alguma atitude para prender os responsáveis pelos ataques em Jos. Dois pastores e mais 46 cristãos foram mortos durante a violência em Jos no dia 17 de janeiro, quando jovens muçulmanos atacaram uma igreja católica; 10 templos foram incendiados, e a polícia estima que mais de 300 pessoas perderam suas vidas.

“Estamos muito preocupados por causa do pânico que esses ataques geraram entre os cristãos, e pedimos que todas as medidas necessárias sejam tomadas para garantir a segurança de cristãos e muçulmanos no estado como cidadãos da Nigéria”, declara a petição da CAN. “Apesar destes ataques e provocações, a igreja e os cristãos, como um povo pacificador, mantiveram a calma e não têm planos de retaliar, mas apelamos a vocês, para que ajam e protejam nossos interesses.”

O Comando da Polícia do Estado não estava disponível para comentar sobre o pedido da CAN.

O pastor Edwin Okpara lamenta que os cristãos no estado tenham sofrido em silêncio, com poucos meios de atrair a atenção para o seu sofrimento.

“O nível de perseguição em Zamfara é alarmante, mais do que em qualquer outro estado no país. Nem mesmo em Sokoto ou Kano os cristãos são sujeitos a esse tipo de discriminação.”


***
Fonte:
 Compass Direct