quinta-feira, 11 de março de 2010

Pastor iraniano é torturado por "converter muçulmanos"

Um pastor assírio, acusado pelo governo iraniano de “converter muçulmanos”, está sendo torturado na prisão e ameaçado de morte.

No dia 2 de fevereiro, agentes de segurança prenderam o reverendo Wilson Issavi, 65, após uma reunião de oração na casa de um amigo em Isfahan (saiba mais). Uma cidade de mais de 1,5 de habitantes, Isfahan fica a 335 km ao sul de Teerã.

De acordo com a rede de notícias cristã Farsi, a esposa de Issavi, Medline Nazanin, visitou seu marido na prisão, onde percebeu que ele apresentava sinais de tortura e estava em estado crítico. Os oficiais da Inteligência iraniana disseram para Nazanin que seu marido poderia ser executado por suas atividades ilegais.

Issavi é o pastor da Igreja Evangélica de Kermanshah em Isfahan, uma congregação da Assembleia de Deus que cuida da população assíria.

Durante a invasão, a polícia do estado prendeu todos que estavam na casa, mas depois os liberou, permanecendo detidos apenas Issavi e o dono da casa. Os oficiais de segurança também confiscaram bens da casa. Normalmente, em prisões de cristãos no Irã, os policiais confiscam todos os documentos, materiais, computadores e documentação pessoal. Issavi está detido em uma prisão não identificada.

A prisão parece ser parte de uma “varredura” anticristã que está acontecendo em Isfahan. Além das detenções e execuções com motivações políticas que aconteceram depois das eleições de junho passado, parece que as autoridades estão “cercando” os líderes cristãos.


***
Postado Por Elias Alves no Missões Peru. Fonte: Compass Direct